3 dicas para aumentares os nutrientes na dieta

 

Dieta para isto, dieta para aquilo…torna-se um desafio percebermos o que havemos de comer, como e quando, certo?

 

Imagino que sentes a mesma dificuldade… No entanto, o conceito básico de dieta saudável é bem mais simples do que aquilo que nos fazem crer.

 

Repara… Uma dieta nutricionalmente saudável significa consumir uma variedade de vegetais, frutas, legumes, frutos secos, sementes e leguminosas e porque?

Porque as plantas contêm mais de 100.000 princípios activos que nos oferecem compostos com efeitos anticancerígenos, antimicrobianos, antioxidantes, analgésicos e cicatrizantes.

Assim, simplesmente basta pegar nestes alimentos e introduzi-los no nosso dia a dia. Vamos ver como fazê-lo? Bora lá…

 

 

1. Come o “arco-íris”

Nas consultas recomendo com frequência às minhas pacientes para fazerem a salada “arco-íris” e porquê? Porque assim certifico-me que as minhas pacientes consomem uma ampla gama de fitonutrientes, pois uma variedade de cores significa uma variedade de nutrientes que promovem a saúde.

 

2. Abusa dos superalimentos

Já sei o que estás a pensar…”Lá vem mais uma a dizer que temos que comprar aqueles produtos estranhos e caros que garantem a cura de tudo e mais alguma coisa”…se pensaste algo semelhante, então relaxa, porque na minha visão, como Naturopata, os superalimentos são aqueles alimentos que encontramos em qualquer mercado, supermercado, praça ou mercearia.

Refiro-me aos Verdes, aos vários tipos de feijões, às cebolas, aos cogumelos, aos frutos vermelhos e às oleaginosas. Estes (e outros) é que são os verdadeiros superalimentos, são os melhores alimentos do planeta e devem fazer parte da nossa alimentação diária.

Por quê? Porque estes alimentos mágicos beneficiam o sistema imunitário, tornam-te mais saudável e ajudam-te a proteger de doenças como o cancro.

 

Repara:

 

Verduras, vegetais crucíferos, em particular, fornecem fitoquímicos únicos (ITCs) com uma variedade de propriedades que ajudam a combater o cancro.

O maior consumo desses vegetais está associado à redução do risco de cancro, de doenças cardiovasculares e uma vida mais longa.

 

• Feijões e outras leguminosas são ricas em amido fibroso e resistente, que ajudam a manter baixos os níveis de glicose, pressão sanguínea e colesterol LDL, promovem a saúde do cólon e nutrem o microbioma.

 

• A cebola e o alho estão associados a uma redução no risco de vários tipos de cancro e os seus fitoquímicos contêm enxofre que tem uma série de ações que beneficiam o sistema cardiovascular.

 

• Os fitoquímicos dos cogumelos são únicos na promoção da função do sistema imunológico e na sua capacidade de inibir a produção de estrogénio; o consumo de cogumelos está associado a um risco reduzido de cancro da mama.

 

• Os fitoquímicos dos frutos vermelhos têm efeitos anticancerígenos e redutores da pressão arterial e estão associados a um risco reduzido de ataque cardíaco.

Os mirtilos em particular também se mostraram promissores para melhorar a saúde do cérebro, em estudos sobre memória e função cognitiva.

 

• Sementes e nozes: Comer nozes regularmente está associado à longevidade, redução do risco de doenças cardiovasculares e um peso corporal saudável.

Sementes diferentes têm diferentes benefícios nutricionais; linhaça e chia, por exemplo, são ricas em ómega-3 ALA e lignanas, fitoquímicos anti-estrogénicos ligados a uma redução no risco de cancro da mama e próstata.

 

3. Lembra-te: Junk food não é “food”

As comidas processadas são incrivelmente prejudiciais para a nossa saúde, levando-nos a quadros clínicos complicados desde a obesidade às doenças cardiovasculares passando por alterações químicas prejudiciais no cérebro que afetam o nosso bem-estar emocional e impulsiona-nos a comer ainda mais comidas processadas.

Sei bem que tens plena consciência de que estes alimentos necessitam de sair da tua rotina alimentar mas por vezes pode ser um pouco confuso a forma como o podes fazer, correcto?

 

📌 Então deixo-te umas dicas…

Começa por limpares completamente a tua cozinha de tudo o que não são alimentos saudáveis…acredita, se não os tiveres em casa, vais pensar duas vezes se valerá a pena ires de propósito ao supermercado comprar produtos que te irão prejudicar o bem-estar.

 

Depois podes começar a fazer experiência culinária…

1. Refoga com água ou com um caldo de legumes com baixo teor de sódio em vez de usares óleos vegetais
2. Muda o leite de vaca para uma bebida vegetal de soja, coco, amêndoa ou aveia sem açúcar
3. Muda os cereais matinais açucarados por aveia coberta com sementes de linhaça e pedaços de chocolate negro

 

❓Agora diz-me, qual é a tua maior dificuldade? Pensa sobre o assunto e caso queiras partilhá-la comigo, já sabes onde me encontrar. 😉

 

 

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.