7 dicas para uma Flora Intestinal Saudável

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

 

A chave para uma boa saúde intestinal é Comer 50 a 55 gramas de fibra por dia

 

1. Constrói as refeições à volta de alimentos de origem vegetal: vegetais, frutas, cereais integrais e legumes.

Este pilar à base de plantas suporta a simbiose microbiana, no intestino. A microbióta próspera ajuda a maximizar a absorção de nutrientes e vitaminas, enquanto que regula a função imunitária, a inflamação, o equilíbrio hormonal e de humor.

 

2. Tem como objectivo consumir no mínimo 50 a 55gr de fibra por dia: Historicamente as populações consumiam quase três a quatro vezes mais fibra do que consumimos hoje.

 

3. Consome diariamente pelo menos 5 a 8gr de prebióticos: Isto é fácil de conseguir com duas chávenas de folhas verdes ou meia chávena de leguminosas.

Boas fontes incluem a raiz de chicória, as folhas de dente-de-leão, o alho-francês, a cebola, o alho, os espargos, o feijão, a banana, a aveia e a soja.

 

4. Adiciona alimentos fermentados ou probióticos à dieta: Boas fontes alimentares incluem o kimchi, o chucrute, o miso, o tempeh, o kefir de água e a kombucha.

 

5. Evita comer a carne vermelha, os lacticínios, os alimentos fritos e os aditivos alimentares.

 

6. Limita a ingestão de gordura. Especialmente se tens ou estás em risco de vir a sofrer diabetes tipo 2.

Opta por fontes saudáveis, incluindo nozes, sementes e abacates.

 

7. Usa antibióticos APENAS quando necessário: evita o seu uso nas doenças virais.

A superexposição aos antibióticos destrói as boas bactérias intestinais, juntamente com as más.

A microbióta, composta por 1.000 espécies diferentes, ajuda a manter a homeostasia interna, ou seja, o equilíbrio interno de todas as funções do nosso corpo.

Assim, o que comemos alimenta as bactérias benéficas que respondem a mudanças em apenas 24 horas. Isso influencia a função imunitária, o risco de obesidade, diabetes, doença cardíaca, doença hepática, cancro do cólon e doença de Alzheimer.

“O microbioma é um campo complexo, mas podemos manipular as nossas escolhas alimentares para a criação de colónias de bactérias benéficas onde florescem” (…) “Quer queira tratar a diabetes, reduzir o risco de um ataque cardíaco, ou reforçar o desempenho atlético, pode começar com a construção de refeições em torno de alimentos coloridos, à base de plantas.” diz Meghan Jardine, M.S., M.B.A., R. D., L. D., C.D.E.

Afinal, já dizia Hipócrates “A saúde começa pelos intestinos

 

 

Fonte: www.pcrm.org/health

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.