Crescer Vegetariano: Será mesmo saudável?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

 

É comum ainda existiram receios acerca dos bebés e crianças que crescem seguindo um padrão alimentar vegetariano.

 

Mas será que é assim tão desafiante e assustador criar uma criança segundo os padrões de uma alimentação de base vegetal?

 

 

Deixo-vos o artigo traduzido e adaptado do PhysiciansCommittee sobre os factos.

 

Uma alimentação de base vegetal bem planeada e suplementada com vitamina B12 oferece todos os nutrientes necessários em todas as fases da infância, desde o nascimento até à adolescência.

As crianças que mantêm uma alimentação vegetariana nutritiva não só crescem fortes e saudáveis, como também vêem diminuído o risco de desenvolver obesidade, colesterol elevado, hipertensão, doenças cardíacas e diabetes tipo 2.

 

Factos que mostram que as dietas à base de plantas apoiam o crescimento saudável das crianças:

 

1. As dietas vegetarianas são seguras em todas as fases da vida:

A American Dietetic Association afirma[1] que as dietas vegetarianas bem planeadas e suplementadas com vitamina B12 “são apropriadas para todas as fases do ciclo de vida, incluindo a infância e adolescência.”

O grupo cita evidências mostrando que as pessoas que seguem uma alimentação de base vegetal têm menores níveis de colesterol, pressão arterial e taxas mais baixas de doença cardíaca e diabetes tipo 2 do que os não vegetarianos. (www.andjrnl.org/article/S0002-8223(09)00700-7/abstract)

 

A Academy of Pediatrics concorda[2]: “Bem planeada, os padrões alimentares vegetarianos são saudáveis para crianças e bebés.”

 

2. A alimentação das crianças é severamente deficiente em fruta e vegetais:

Não são os produtos de origem animal que estão em falta nas dietas da maioria das crianças. São as frutas, os legumes, os cereais integrais e outros alimentos que têm efeitos protectores contra os maiores assassinos do mundo, incluindo as doenças cardíacas (1ª causa de morte em Portugal).

A maioria das crianças consome em excesso gordura saturada que entope as artérias e que é encontrado principalmente nos produtos lácteos e na carne[3].

 

3. Crianças com factores de risco para doenças cardíacas:

Um estudo[i] recente descobriu que 40% das crianças, com idades entre 6 e os 11 anos, já têm níveis elevados de colesterol e as taxas de hipertensão arterial[ii] também são cada vez mais comuns nas crianças.

Mais ainda, 1 em cada 3 crianças americanas[iii] e italianas[iv], têm excesso de peso ou são obesos, fazendo os riscos aumentarem.

Cerca de 70% das crianças obesas têm um ou mais factores de risco para doença cardiovascular. A doença cardiovascular é a principal causa de morte nos Estados Unidos e em Itália[v] (em Portugal também), onde as doenças do coração são responsáveis ​​por 30% de todas as mortes.

 

No entanto, a alimentação vegetariana é praticamente isenta de colesterol e pobre em gordura saturada (quando bem estruturada).

 

Os estudos têm demonstrado que a alimentação vegetariana pode ajudar a prevenir, reverter e travar[vi] as doenças cardíacas nos adultos.

Um estudo da Cleveland Clinic lançado no ano passado mostrou que as dietas vegetarianas têm efeitos semelhantes[vii] nas crianças com excesso de peso.

As crianças no grupo vegetariano reduziram os níveis de pressão arterial e colesterol, diminuíram de peso e baixaram a sensibilidade a dois biomarcadores para a doença cardiovascular.

 

4. Aumento dos índices de diabetes Tipo 2:

Entre 2000 e 2009, a prevalência de diabetes tipo 2 disparou[viii] em mais de 30% nas crianças americanas.

Crianças com diabetes tipo 2 enfrentam um maior risco de complicações graves, como insuficiência renal, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Se nada mudar, as projecções mostram que 1 em cada 3 crianças irá desenvolver diabetes tipo 2 em algum momento das suas vidas.

A nível global, a história é semelhante. As taxas de diabetes em todo o mundo têm disparado de 108 milhões em 1980 para 422 milhões em 2014.

Mas os estudos mostram que as pessoas que consomem dietas à base de plantas têm um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2.

 

Como podes ver é seguro e saudável educar uma criança com base num regime alimentar vegetariano…até porque o problema não passa pelo tipo de alimentação que a criança recebe e sim pelo equilibro nutricional que pode estar tanto presente como ausente em QUALQUER regime alimentar.

 

 

 

 

Artigo original: www.pcrm.org/nbBlog/four-ways-vegan-diets-can-benefit-kids

[i] http://health.usnews.com/health-news/articles/2015/03/17/kids-bad-diets-may-mean-worse-health-as-adults
[ii] http://newsroom.heart.org/news/elevated-blood-pressure-increasing-among-children-adolescents
[iii]www.heart.org/HEARTORG/HealthyLiving/HealthyKids/ChildhoodObesity/Overweight-in-Children_UCM_304054_Article.jsp#.V636YpMrLEZ
[iv] www.oecd.org/els/health-systems/obesityandtheeconomicsofpreventionfitnotfat-italykeyfacts.htm
[v] www.istat.it/en/archive/140877
[vi] www.pcrm.org/health/heart
[vii] www.pcrm.org/health/medNews/plant-based-diets-lower-risk-of-heart-disease-in
[viii] www.usatoday.com/story/news/nation/2014/05/03/diabetes-rises-in-kids/8604213
[ix] www.who.int/mediacentre/factsheets/fs312/en

[3] www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/top-food-sources-of-saturated-fat-in-the-us

[1] www.andjrnl.org/article/S0002-8223(09)00700-7/abstract

[2] www.eatright.org/resource/food/nutrition/vegetarian-and-special-diets/feeding-vegetarian-and-vegan-infants-and-toddlers

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

1 Comentário
mais antigo
mais recente mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Mel
Mel
6 anos atrás

O mais irónico de tudo (para além de falta de informação) é que esse projecto "preocupa-se" tanto que um determinado tipo de alimentação faça mal às crianças mas, ao mesmo tempo, penaliza os pais com uma pena de prisão, o que os separará, obviamente, dos filhos menores. Nutrir os filhos sem crueldade animal não pode, mas deixá-los sem pais está na boa 🙂

  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.