Benefícios da vitamina C para a saúde fértil da mulher

Benefícios da vitamina C para a saúde fértil da mulher

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Se pudesse colocar uma capa de super heroína a alguma vitamina, sem dúvida que a vitamina C estaria entre as principais candidatas e não é por menos, pois a vitamina C é uma espécie de vitamina “reparadora” devido aos vários benefícios que trás para a saúde fértil da mulher.

A vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, é uma vitamina solúvel em água, que atua como um antioxidante para neutralizar os radicais livres, ou seja, funcionam como um sistema de defesa, desarmando os radicais livres que, por sua vez, são moléculas instáveis ​​que podem danificar as estruturas celulares.

Quando um antioxidante encontra um radical livre, ele envolve-o e funde-se na sua estrutura molecular, criando um radical livre enfraquecido, ficando com menos capacidade de causar danos.

Esta descrição dá-nos uma boa perspetiva sobre a importância que os antioxidantes têm na nossa saúde!

O nosso corpo também usa a vitamina C para sintetizar compostos importantes como o colágeno, um tipo de proteína estrutural que compõe o tecido conjuntivo e ajuda na cicatrização de feridas.

Além disso, a vitamina C é necessária para a produção de outros compostos, como a L-carnitina e neurotransmissores.

Mas o que pretendo com este artigo é falar-te sobre os benefícios da vitamina c para a saúde fértil da mulher.

Sabias, por exemplo, que a vitamina C desempenha, um papel importante no equilíbrio hormonal, na saúde do esperma, na imunidade e na gravidez?

Melhora e protege a saúde do esperma

A vitamina c tem desempenhado um papel importante na melhoria da qualidade do esperma, protegendo-o contra danos no ADN, o que por sua vez ajuda a reduzir o risco de aborto espontâneo e defeitos cromossómicos, uma vez que a vitamina C protege o esperma do dano oxidativo devido aos radicais livres.

Também a carência de vitamina C tem sido associada a uma diminuição da contagem de espermatozoides, baixa motilidade e morfologia dos mesmos.

Um estudo publicado no Journal of Andrology mostrou uma melhoria acentuada na saúde do esperma em homens que apresentavam uma elevada taxa de fragmentação do ADN espermático, com apenas a suplementação de vitamina C e E resultando num aumento da integridade do ADN dos espermatozoides e numa melhoria na implantação, bem como nas taxas de gravidez.

Um outro estudo realizado em 1991 concluiu que o fluido seminal apresenta níveis mais elevados de vitamina c quando comparado com outros fluidos do corpo humano, incluindo o sangue.

A vitamina C e a ovulação

A vitamina C desempenha um papel importante na regulação do ciclo menstrual e na função ovariana.

A eliminação de ácido ascórbico, pelo nosso corpo, aumenta e diminui imediatamente antes da ovulação, aumentando novamente logo após a ovulação. 

Pensa-se que este acontecimento deve-se à absorção de ácido ascórbico na fase pré-ovulatória, de forma a beneficiar todo o processo de ovulação.

O que se sabe, é que níveis bons de vitamina C estimulam a produção de progesterona e de oxitocina, sendo encontradas concentrações elevadas no corpo lúteo.

Pensa-se também que níveis elevados de ácido ascórbico nos ovários podem ser responsáveis ​​pela síntese de colagénio, que é necessária para o crescimento do folículo e do corpo lúteo.

Além disso, parece haver uma correlação entre os níveis séricos de ácido ascórbico e os níveis de fluido folicular em mulheres submetidas a fertilização in vitro no momento da recuperação do oócito.

No entanto, são necessários mais estudos sobre a relação entre a vitamina C e a ovulação, mas, o que sabemos é que é uma vitamina que faz parte de vários processos no corpo humano, logo, garantires que ingeres as doses diárias recomendadas é essencial para obteres todos os benefícios que o ácido ascórbico tem para te oferecer.

Aumento da taxa de gravidez para mulheres com defeito na fase lútea

De acordo com um estudo publicado em Fertility and Sterility, a vitamina C melhora os níveis hormonais e aumenta a probabilidade de fertilização em mulheres com defeito na fase lútea.

As mulheres do grupo da vitamina C tiveram aumento dos níveis de progesterona. A taxa de gravidez também foi superior (25%) no grupo da vitamina C, ao longo de seis meses.

Redução do sangramento menstrual intenso

A vitamina C também demonstrou ajudar a reduzir o sangramento menstrual intenso melhorando a força dos capilares.

Um estudo mostrou que o sangramento menstrual intenso foi reduzido em 88% das mulheres que suplementavam regularmente com doses elevadas de vitamina C.

Suporte para endometriose e miomas uterinos

A vitamina C tem vindo a ser associada, igualmente, a benefícios ao nível dos quadros de endometriose e de miomas uterinos devido à modulação imunidade celular e diminuição da progressão autoimune.

Este mecanismo pode ajudar a retardar a propagação e o crescimento da endometriose e miomas uterinos.

Além disso, resultados preliminares mostram que a ingestão de antioxidantes pode estar associada à redução da dor pélvica em mulheres com endometriose, uma vez que as mulheres que tomaram vitamina C tiveram uma melhoria interessante na dismenorreia e dispareunia.

Alguns estudos epidemiológicos recentes sugerem, igualmente, que ocorre uma redução nos níveis de antioxidantes em miomas uterinos, sendo que níveis baixos de vitamina C em mulheres com miomas uterinos pode ser uma relação de causa ou efeito.

Benefícios da vitamina C para a saúde fértil da mulher

Como obter vitamina C

A vitamina C é um nutriente sensível ao cozimento, processamento e exposição ao ar, por isso é importante obtê-la comendo alimentos frescos e de preferência crus, como através da mostarda, salsa, pimento, brócolos, couve de Bruxelas, morango, laranja, kiwi, limão, couve-flor, couve, espinafre, couve roxa e tomate.

Sendo que um consumo ideal situa-se entre as 80 mg para mulheres e 90 mg para homens, numa base diária.

Para efeitos terapêuticos a dosagem poderá ser outra e terá que ser equacionada caso a caso.

Referências

– German Nutrition Society. New reference values for vitamin C intake. Ann. Nutr. Metab. 2015, 67, 13–20; doi:10.1159/000434757.

– EFSA NDA Panel (EFSA Panel on Dietetic Products, Nutrition and Allergies), 2013. Scientific Opinion on Dietary Reference Values for vitamin C. EFSA Journal 2013;11(11):3418, 68 pp. doi:10.2903/j.efsa.2013.3418

– Greco E, Iacobelli M, Rienzi L, Ubaldi F, Ferrero S, Tesarik J. Reduction of the incidence of sperm DNA fragmentation by oral antioxidant treatment. J Androl. 2005 May-Jun;26(3):349-53. doi: 10.2164/jandrol.04146. PMID: 15867002.

– Fraga CG, Motchnik PA, Shigenaga MK, Helbock HJ, Jacob RA, Ames BN. Ascorbic acid protects against endogenous oxidative DNA damage in human sperm. Proc Natl Acad Sci U S A. 1991 Dec 15;88(24):11003-6. doi: 10.1073/pnas.88.24.11003. PMID: 1763015; PMCID: PMC53061.

– Santanam, N., Kavtaradze, N., Murphy, A., Dominguez, C., & Parthasarathy, S. (2013). Antioxidant supplementation reduces endometriosis-related pelvic pain in humans. Translational research : the journal of laboratory and clinical medicine161(3), 189–195. https://doi.org/10.1016/j.trsl.2012.05.001

– Makwe C C, Soibi-Harry A P, Rimi G S, et al. (October 10, 2021) Micronutrient and Trace Element Levels in Serum of Women With Uterine Fibroids in Lagos. Cureus 13(10): e18638. doi:10.7759/cureus.18638

– Ciebiera M, Ali M, Zgliczyńska M, Skrzypczak M, Al-Hendy A. Vitamins and Uterine Fibroids: Current Data on Pathophysiology and Possible Clinical Relevance. Int J Mol Sci. 2020 Aug 1;21(15):5528. doi: 10.3390/ijms21155528. PMID: 32752274; PMCID: PMC7432695.

– Cohen, J Rubin H. “Functional menorrhagia: treatment with bioflavonoids and vitamin C.” Curr Therap Res 1960; 2 (11): 539

– Anderson, R. (1984). The Immunostimulatory, Anti-Inflammatory and Anti-Allergic Properties of Ascorbate. Advances in Nutritional Research, 19-45. doi:10.1007/978-1-4613-2801-8_2

– Luck, M. R., Jeyaseelan, I., & Scholes, R. A. (1995). Ascorbic acid and fertility. Biology of Reproduction, 52(2), 262-266. doi:10.1095/biolreprod52.2.262 Retrieved from: https://academic.oup.com/biolreprod/article/52/2/262/2761466

– Henmi, H., Endo, T., Kitajima, Y., Manase, K., Hata, H., & Kudo, R. (2003). Effects of ascorbic acid supplementation on serum progesterone levels in patients with a luteal phase defect. Fertility and Sterility, 80(2), 459-461. doi:10.1016/s0015-0282(03)00657-5 Retrieved from: https://www.fertstert.org/article/S0015-0282(03)00657-5/fulltext

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.