como escolher um probiótico

Como escolher um probiótico

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Dúvidas sobre como escolher um probiótico são muitas e muito comuns, tendo em consideração a larga quantidade de publicações científicas ao nosso dispor, que relacionam o papel da saúde intestinal com a nossa saúde.

A questão é que nem todos os suplementos são iguais, pelo que devemos saber como escolher um probiótico.

A necessidade (ou não) de tomar um probiótico

Os probióticos são microrganismos (bactérias e leveduras) que apoiam vários aspetos da saúde geral, fornecendo cepas benéficas de organismos que ajudam a repovoar a flora intestinal.

Embora a investigação científica ainda esteja no início, quando se trata da relação de causa e efeito, existem alguns estudos que mostram que o uso de probióticos pode levar uma:

  • Redução da resistência à insulina
  • Redução dos processos inflamatórios
  • Melhorias na fertilidade e gestação
  • Redução de infeções do trato urinário e vaginal
  • Redução da ansiedade e depressão
  • Melhoria do sono, ritmo circadiano e diminuição do stress
  • Melhoria na obstipação, inchaço e diarreia

A toma de probióticos tem sido associada à redução do stress, a uma melhoria na qualidade do sono e memória, especialmente quando falamos de cepas de Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei, Bifidobacterium bifidum e Bifidobacterium longum que mostraram benefícios em quadros de ansiedade e depressão.

Devido a estas descobertas sobre a conexão intestino-cérebro criou-se um novo campo de estudo: os psicobióticos, onde se investiga o uso de probióticos para melhorar o humor e a função cognitiva.

Além disso, a toma de probióticos a partir dos 30 anos também parece ser importante para ajudar a prevenir a perda óssea das mulheres na menopausa.

Como escolher um probiótico

O probiótico deve conter pelo menos 10 bilhões de UFCs de uma variedade de Lactobacillus e Bifidobacterium, especificamente Bifidobacterium infantis e B. longum, espécies que ajudam a restaurar o equilíbrio normal da flora e a reparar a função da barreira intestinal.

Normalmente, recomendo tomá-los diariamente durante alguns meses por ano.

Em situações onde existe uma disbiose significativa, os probióticos podem não ser a melhor opção no momento, uma vez que podem agravar os sintomas, causando mais gases e inchaço abdominal. Nesses casos, convém, primeiro, tratar a disbiose e só depois voltar a introduzir o probiótico.

A alimentação como fonte de probióticos

É certo que é mais fácil ingerir um suplemento do que estar a pensar sobre que alimentos ingerir de forma a que atuem no nosso intestino como probióticos, mas, na realidade estes alimentos, muitas vezes, são bem mais eficazes do que os suplementos.

Os alimentos naturalmente fermentados são importantes para a recuperação do nosso microbioma e não devem ser descurados uma vez que apoiam a manutenção do sistema imunitário e reduzem a inflamação.

Logo, devemos incluir uma variedade de alimentos fornecedores de organismos benéficos para o nosso intestino. Assim, idealmente deves incluir diariamente alimentos como iogurte de coco, kefir de coco, azeitonas curadas, pickles e chucrute.

Lembra-te que tudo está interconectado e que o intestino, aparentemente, é uma peça essencial na nossa saúde.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.