Fibromialgia vs dieta vegetariana

São muitas as mulheres que sofrem de fibromialgia, uma condição caracterizada por meses de dor generalizada, fadiga, distúrbios do sono, depressão, ansiedade, pensamentos confusos, dores de cabeça, dor lombar entre outros sintomas.

 

 

Esta condição tem um enorme impacto sobre a qualidade de vida de quem dela sofre pois impede a realização das actividades do quotidiano com a mesma leveza de quem não padece de fibromialgia.

Para já a sua causa é desconhecida, não havendo de momento nenhum tratamento 100% eficaz mas existem rotinas, hábitos e comportamentos que podem ser adoptados de forma a minimizar os sintomas que tanto debilitam estas mulheres (e alguns homens).

 

De acordo com uma das últimas revisões sobre fibromialgia e nutrição, a dieta vegetariana pode oferecer alguns efeitos benéficos na manutenção dos sintomas. [Rheumatol Int. 2010]

 

Em 1991, uma pesquisa foi enviada a centenas de pessoas que sofriam de várias condições de dor crónica, incluindo fibromialgia.

Nesse questionário procurou-se saber se os pacientes haviam encontrado algum sucesso na redução das dores ao testarem diferentes tipos de dieta [Clin Rheumatol. 1991].

Algumas pessoas mudaram para uma dieta ovo-lacto-vegetariana, outras para um dieta vegetariana estrita entre vários outros tipos de dietas alimentares que as ajudaram no alivio da dor, rigidez e inchaço.

 

A alimentação vegetariana estrita foi a que conseguiu produzir uma maior redução dos sintomas da doença.

 

O primeiro estudo formal acerca do impacto da alimentação vegetariana nas doenças reumáticas foi em 1993, onde dez pacientes com fibromialgia foram colocados numa dieta vegetariana durante três semanas.

Os níveis de oxidação, inflamação e colesterol medidos diminuíram de forma significativa [Plant Foods Hum Nutr. 1993].

Mas o grande interesse do ponto de vista clínico é o efeito que causa na diminuição da dor na maioria dos pacientes. Sete em cada dez sentiram-se melhor.

No ano 2000, em Helsínquia, os investigadores quiserem estudar o desenvolvimento dos sintomas dos doentes com fibromialgia quando estes faziam uso de uma dieta vegetariana estrita. Para efeitos do estudo, foi fornecido aos participantes uma dieta vegetariana estrita crua.

Os pacientes reumáticos afirmaram sentir-se melhor enquanto se alimentavam à base de plantas cruas e
piores quando retornavam os seus padrões alimentares anteriores. [Toxicology. 2000]

O grupo dos pacientes com fibromialgia a consumir uma dieta de base vegetal crua também relatou uma diminuição significativa dos sintomas como melhoria na qualidade do sono, redução da rigidez matinal e melhoria nas medidas de saúde geral, mas que voltaram a agravar assim que retornaram à alimentação anterior ao estudo. [Scand J Rheumatol. 2000]

 

–> O estudo só durou três meses, mas pode-se concluir que adoptar uma alimentação de base vegetal produz efeitos benéficos sobre os sintomas de fibromialgia, pelo menos no curto prazo.

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.