4 Fitonutrientes na prevenção do Cancro

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

 

A modesta mas crescente alteração de mentalidades no que diz respeito aos alimentos que ingerimos e o impacto que estes têm no organismo, principalmente quando nos referimos a doenças como o cancro é algo de louvar.

 

Uma das áreas onde a ciência têm vindo a apostar na investigação relacionada às TNC´s é no tratamento do cancro.

 

Em junho de 2015 foi publicado no International Journal of Molecular Sciences um artigo de revisão intitulado:

 

Os fitoquímicos como ferramentas terapêuticas inovadoras contra as células-tronco cancerígenas

 

O objectivo desta revisão de literatura foi avaliar as evidências científicas que davam parecer positivo aos fitonutrientes –  substâncias activas presentes em determinados alimentos que promovem a saúde – presentes em vários alimentos e especiarias que poderiam beneficiar o tratamento de doentes oncológicos através do “ataque” às células-tronco cancerígenas por segmentação.

O que os autores do artigo concluíram com esta revisão foi que haviam determinados alimentos que sobressaíam como potenciais agentes quimioprotectores eficazes no combate às células-tronco cancerígenas.

Assim, apresento-te alguns desses fitonutrientes que demonstraram ter um importante papel no combate a esta doença tão fulminante que ataca a nossa sociedade:

 

  • Curcumina: A curcumina é o principal principio activo do Açafrão da Índia (Curcuma longa) e o principal responsável pela sua pigmentação amarela.

A curcumina tem vindo a ser associada à interrupção do processo da carcinogénese através da inibição ou supressão  do seu desenvolvimento em modelos animais.

 

  • Licopeno: O licopeno é um carotenóide vermelho presente em alguns alimentos como nos tomates e nas toranjas.

Diversos estudos epidemiológicos têm vindo a associar a elevada ingestão de alimentos ricos em licopeno à diminuição da incidência de certos cancros como os da próstata e do estômago.

 

  • Luteolina: A luteolina é um flavonóide presente nos “verdes” como os espinafres e as couves.

Das várias investigações publicadas, a luteolina tem vindo a demonstrar um importante efeito anticancerígeno, através da indução do processo de senescência* e apoptose celular.

 

  • Genisteína: A genisteína é um fitoestrogénio muito abundante na soja.

O seu consumo tem sido associado à diminuição da prevalência de cancros da próstata, mama e do endométrio.

 

Segundo os investigadores, os fitoquímicos conseguem atacar selectivamente os células-tronco cancerígenas significando

“um marco na melhoria do tratamento do cancro porque os medicamentos oncológicos sintéticos utilizados actualmente são frequentemente tóxicos para os órgãos saudáveis e enfraquecem o sistema imunitário do paciente.“

 

Também destacaram que estes fitoquímicos, devido aos “baixos níveis de toxicidade para as células normais“, podem ser associados a outros, “produzindo efeitos sinérgicos poderosos.

 

Por fim, os autores do artigo concluíram que…

o uso de fitoquímicos pode ser uma verdadeira estratégia terapêutica para erradicar o cancro através da eliminação de células-tronco cancerígenas.

 

Sei bem que um diagnóstico de cancro não é fácil de lidar, principalmente pela conotação negativa que a própria palavra implica, no entanto, não nos podemos esquecer que está nas nossas mãos a responsabilidade de ajudar o nosso corpo a recuperar da doença.

Compreendo que seja expectável colocar as decisões sobre a nossa saúde no profissional especializado, confiando sem questionar, mas, a saúde é tua, o corpo é teu e tu tens inteligência de sobra para tomares as tuas decisões baseadas na informação que deves exigir de quem te está a acompanhar, sejam profissionais da área que for.

 

Por isso, informa-te, pondera sobre todas as soluções e depois toma a tua decisão consciente e confiante de que é a melhor decisão que podes tomar por TI.

 

Um beijinho ❤️

 

 

 

*Senescência: processo de envelhecimento celular.

 

Referências
(1): Int J Mol Sci. 2015 Jul; 16(7): 15727–15742. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4519921)
(2): Ferreira L.C., Arbab A.S., Jardim-Perassi B.V., Borin T.F., Varma N.R., Iskader A., Shankar A., Ali M.M., de Campos D.A. Effect of curcumin on pro-angiogenic factors in the xenograft model of breast cancer. Anticancer Agents Med. Chem. 2015 doi: 10.2174/1871520615666150520093644. in press. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25991545)
(3) Rao C.V, Rivenson A., Simi B., Reddy B.S. Chemoprevention of colon carcinogenesis by dietary curcumin, a naturally occurring plant phenolic compound. Cancer Res. 1995;55:259–266. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7812955)
(4) Giovannucci E. Tomatoes, tomato-based products, lycopene, and cancer: Review of the epidemiologic literature. J. Natl. Cancer Inst. 1999;91:317–331. doi: 10.1093/jnci/91.4.317. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10050865)
(5) eren S., Lieberman R., Bayraktar U.D., Heath E., Sahin K., Andic F., Kucuk O. Lycopene in cancer prevention and treatment. Am. J. Ther. 2008;15:66–81. doi: 10.1097/MJT.0b013e31804c7120. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18223356)
(6) Franceschi S., Bidoli E., la Vecchia C., Talamini R., D’Avanzo B., Negri E. Tomatoes and risk of digestive-tract cancers. Int. J. Cancer. 1994;59:181–184. doi: 10.1002/ijc.2910590207. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7927916)
(7) Giovannucci E., Rimm E.B., Liu Y., Stampfer M.J., Willett W.C. A prospective study of tomato products, lycopene, and prostate cancer risk. J. Natl. Cancer Inst. 2002;94:391–398. doi: 10.1093/jnci/94.5.391. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11880478)
(8) García-Closas R., Castellsague´ X., Bosch X., Gonzàlez C.A. The role of diet and nutrition in cervical carcinogenesis: A review of recent evidence. Int. J. Cancer. 2005;117:629–637. doi: 10.1002/ijc.21193. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15912536)
(9) Shimoi K., Saka N., Kaji K., Nozawa R., Kinae N. Metabolic fate of luteolin and its functional activity at focal site. Biofactors. 2000;12:181–186. doi: 10.1002/biof.5520120129. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11216484)
(10) Hebert J.R., Hurley T.G., Olendzki B.C., Teas J., Ma Y., Hampl J.S. Nutritional and socioeconomic factors in relation to prostate cancer mortality: A cross-national study. J. Natl. Cancer Inst. 1998;90:1637–1647. doi: 10.1093/jnci/90.21.1637. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9811313)
(11) Adlercreutz H., Honjo H., Higashi A., Fotsis T., Hamalainen E., Hasegawa T., Okada H. Urinary excretion of lignans and isoflavonoid phytoestrogens in Japanese men and women consuming a traditional Japanese diet. Am. J. Clin. Nutr. 1991;54:1093–1100. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1659780)
(12) Ziegler R.G., Hoover R.N., Pike M.C., Hildesheim A., Nomura A.M., West D.W., Wu-Williams A.H., Kolonel L.N., Horn-Ross P.L., Rosenthal J.F., Hyer M.B. Migration patterns and breast cancer risk in Asian-American women. J. Natl. Cancer Inst. 1993;85:1819–1827. doi: 10.1093/jnci/85.22.1819. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8230262)
(13) Goodman M.T., Wilkens L.R., Hankin J.H., Lyu L.C., Wu A.H., Kolonel L.N. Association of soy and fiber consumption with the risk of endometrial cancer. Am. J. Epidemiol. 1997;146:294–306. doi: 10.1093/oxfordjournals.aje.a009270. (www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9270408)
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.