Sabes qual a importância do DHA para a nossa vida?

Fala-se muito no ómega 3 porque o ácido linolénico (ALA) é um ácido gordo essencial, polinsaturados com propriedades anti-inflamatórias, ou seja, é uma gordura que o corpo não consegue produzir, tendo de ser consumida pela alimentação.

 

A partir do ácido linolénico (ALA), o corpo produz EPA e a partir deste produz DHA.

O EPA é mais importante para produção de eicosanóides, substâncias que comunicam mensagens diversas no organismo. O DHA encontra-se em abundância nas células da retina e nos neurónios. Assim, as funções como o relaxamento e a contracção dos músculos, coagulação, digestão, fertilidade, divisão celular, crescimento, controle da inflamação estão dependentes dos ómega 3.

Embora todos eles sejam importantes, sabe-se que o DHA é fundamental para o desenvolvimento cerebral [1], para a capacidade de trabalho e memória [2]. Como tal é crucial para a estrutura, desenvolvimento e funcionamento do cérebro. Nas grávidas por exemplo a suplementação é muito importante.

 

Mas porque é que é importante falar nisto?

 

Porque as fontes de DHA são, de certa forma, limitadas. Temos como principais fontes a linhaça, o cânhamo, os peixes e as algas. A questão é que actualmente a maioria de nós não consome o suficiente destas gorduras e as que consomem pode não ser das fontes mais adequadas. Por exemplo os peixes já não se alimentam apenas de outros peixes, plâncton e algas, pelo contrário, frequentemente os peixes que consumimos foram alimentados com rações ricas em ómega 6 excluindo assim o tão aclamado ómega 3 do peixe. As algas também são excelentes fontes, mas para se obter o desejado teríamos que as comer com maior frequência, o mesmo se aplica às sementes!!

 

O.K. e qual é a consequência?

 

A consequência é que a deficiência de DHA está relacionada a perturbações psicológicas como a depressão e comportamentos agressivos. Por exemplo, as crianças diagnosticadas com hiperactividade ou sintomas semelhantes [3] apresentam, normalmente, níveis baixos de DHA, logo é um ponto ao qual se deve dar atenção, preferencialmente através da alimentação.

No entanto, se optarem por suplementos certifiquem-se que aquele que escolherem tenha discriminado as quantidades de EPA e DHA e com uma proporção correcta: 2/3 de EPA para 1/3 de DHA:

– 500 mg de EPA+DHA são as recomendações para evitar deficiências.
– 1000mg de EPA + DHA são as recomendações para melhorar a performance.
– Nas crianças até 7 anos, o DHA é de tal forma fundamental que a suplementação deve conter 2/3 de DHA para 1/3 de EPA.

 

[1] www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22841917
[2] www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22254110
[3] www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22970149
www.esmeraldazul.com/pt/blog/mantenha-o-cerebro-activo-com-dha

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.