O leite de vaca contribui para a obesidade infantil?

Fonte: Pixabay

Hoje em dia, felizmente já sabemos que os bebés amamentados têm uma MENOR probabilidade de vir a sofrer de obesidade mais tarde na vida.

 

Essa protecção, estima-se que tenha uma “validade” de mais de 30 anos. Logo oferecer uma fórmula infantil de leite de vaca a um bebé não é o nutriente mais adequado ao seu desenvolvimento.

 

O leite da vaca tem como objectivo aumentar cerca de 1 kg por dia o bezerro em crescimento, ou seja, cerca de 40 vezes a taxa de crescimento dos bebés humanos.

(Am J Hum Biol. 2012).

 

Todos nós sabemos que o alimento perfeito para os seres humanos é o leite materno. Notavelmente, entre todas as espécies de mamíferos, o teor de proteína do leite humano é o que apresenta uma das percentagens mais baixas (J Obes. 2012).

É o facto do bebé precisar de uma ingestão proteica tão baixa que levou a suspeitar da associação entre o teor excessivo de proteína presente na fórmula à base de leite de vaca e a obesidade numa fase mais avançada da vida da criança.

Com a agravante que em vez da criança ser desmamada do “leite de outra espécie” à medida que cresce, como seria de esperar em qualquer espécie, ela (nós) continua a beber leite.

A questão, portanto, é:

“Será que o consumo de uma substância promotora de crescimento de outra espécie durante a infância altera fundamentalmente os processos de crescimento e maturação dos humanos?”

Parece que sim!!

Um estudo da Universidade de Indiana, por exemplo, encontrou evidências de que um maior consumo de leite de vaca está associado a um maior risco da criança entrar na puberdade prematuramente (PLoS One. 2011).

As raparigas que bebem muito leite começam a ter a menstruação mais cedo. Como tal, o consumo de leite entre espécies e a sua ingestão na infância pode desencadear consequências graves para a saúde (e algumas ainda desconhecidas) (Am J Hum Biol. 2012).

Somente o leite humano permite a programação metabólica apropriada e protege contra doenças da civilização mais tarde na vida, enquanto que o consumo do leite de vaca e de outros produtos lácteos durante a adolescência e a idade adulta é um comportamento evolutivamente novo que pode ter efeitos adversos a longo prazo na saúde (Nutr J. 2013).

Os adolescentes expostos a proteínas lácteas, como a caseína, leite desnatado ou soro de leite, experimentaram um aumento significativo no IMC (índice de massa corporal) e na circunferência da cintura em comparação com o grupo controle (J Nutr. 2012).

Em contraste, nem um único estudo financiado pela indústria dos laticínios encontrou um resultado desfavorável ao leite (Physiol Behav. 2012). (humm…porque será?)

O chefe do Centro de Prevenção de Obesidade do Hospital Infantil de Boston e presidente do departamento de nutrição de Harvard escreveu ao JAMA’s Pediatrics journal questionando o papel do leite de vaca na nutrição humana (JAMA Pediatr. 2013).

Em resposta afirmaram que:

os seres humanos não têm necessidade de consumir leite de outros animais. Na verdade, o leite pode até mesmo desempenhar um papel nocivo em determinados tipos de cancro.”

 

Informa-te e toma controlo da tua saúde!!

 

 

 

Texto original: How Milk May Contribute to Childhood Obesity. http://nutritionfacts.org/2017/03/16/how-milk-may-contribute-to-childhood-obesity
– J Pediatr. 1981 Jun;98(6):883-7. Do breast-feeding and delayed introduction of solid foods protect against subsequent obesity? www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7229789
– Am J Hum Biol. 2012 Mar-Apr;24(2):130-8. doi: 10.1002/ajhb.22201. Epub 2011 Nov 28. Cow milk consumption, insulin-like growth factor-I, and human biology: a life history approach. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22121110
– J Obes. 2012;2012:197653. doi: 10.1155/2012/197653. Epub 2012 Mar 19. Excessive Leucine-mTORC1-Signalling of Cow Milk-Based Infant Formula: The Missing Link to Understand Early Childhood Obesity. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22523661
– PLoS One. 2011 Feb 14;6(2):e14685. doi: 10.1371/journal.pone.0014685. Milk intake and total dairy consumption: associations with early menarche in NHANES 1999-2004. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21347271
– Am J Hum Biol. 2012 Mar-Apr;24(2):130-8. doi: 10.1002/ajhb.22201. Epub 2011 Nov 28. Cow milk consumption, insulin-like growth factor-I, and human biology: a life history approach. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22121110
– Nutr J. 2013; 12: 103. Milk is not just food but most likely a genetic transfection system activating mTORC1 signaling for postnatal growth www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3725179
– J Nutr. 2012 Dec;142(12):2083-90. doi: 10.3945/jn.112.161208. Epub 2012 Oct 17. Skim milk, whey, and casein increase body weight and whey and casein increase the plasma C-peptide concentration in overweight adolescents. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23077192
– Physiol Behav. 2012 Aug 20;107(1):172-5. doi:10.1016/j.physbeh.2012.05.004. Epub 2012 May 11. Relationship between funding sources and outcomes of obesity-related research. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22583858
– JAMA Pediatr. 2013 Sep;167(9):788-9. doi: 10.1001/jamapediatrics.2013.2408. Three daily servings of reduced-fat milk: an evidence-based recommendation? www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23818041

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.