Leucocitose Digestiva. Sabes o que é?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

 

Quando temos uma infecção, o nosso corpo aumenta a quantidade de glóbulos brancos (leucocitose) para que estes nos defendam contra os “invasores”.

 

Quem diria que o mesmo processo ocorre após a ingestão de alimentos cozinhados?

Os níveis normais de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue são de 6.000-8.000 por milímetro cubito. Ao comermos um alimento cozinhado, no prazo de 10 minutos, os níveis sobem para 10.000 e após 30 minutos para 30.000, voltando ao normal ao fim de 1 hora e meia.

A este processo chama-se Leucocitose digestiva, ou seja, é o aumento dos leucócitos no sangue (células de defesa) após a ingestão de alimentos cozidos/cozinhados.

Quando cozinhamos um alimentos as suas enzimas são destruídas e as suas propriedades alteradas. Ao ingerirmos esse alimento “alterado” o corpo intrepreta-o como um agente invasor, e, por isso, prepara-se para o combate.

Já te questionas-te o porquê de necessitarmos de fazer análises em jejum?…o motivo é exactamente esse, para que, caso haja leucocitose, esta não seja causada por alimentos, mas sim o resultado de alguma infecção/inflamação.

Em 1846, Donders, um médico de renome na sua época, observou pela primeira vez um aumento do número de leucócitos no sangue depois de uma refeição cozinhada.

Esta observação foi confirmada em 1859, por Rudolf Virchow, um patologista alemão, que deu a este fenómeno o nome de “leucocitose fisiológica-digestiva”. Ele concluiu que o aumento do número de glóbulos brancos depois da refeição era um fenómeno fisiológico normal.

Entretanto, em 1930 o investigador Dr. Paul Kuschakoff observou, que a ingestão de vegetais e frutos crus não levava a um aumento dos glóbulos brancos no sangue, isto é, não se apresentava a reacção inflamatória antigamente considerada normal, se os alimentos fossem consumidos crus.

 

Kuschakoff comprovou ainda que esta reacção também não se produz, quando a comida cozida se segue à crua.

 

Ele observou que se pelo menos 10% dos alimentos forem consumidos crus e imediatamente ANTES dos cozidos, evita-se esta reacção inflamatória.

Kuschakoff também observou que os alimentos processados provocam o mesmo tipo de reacção inflamatória. Isso significa que alimentos como o leite, os lacticínios, os queijos, o pão, os embutidos, o açúcar e as farinhas brancas, entre outros, devem ser evitados porque geram uma reacção negativa por parte do nosso sistema imunitário!

No entanto, Kouchakoff observa que esta reacção apenas ocorre quando se ingerem alimentos cozidos ou processados e fez a seguinte conclusão:

 

“Parece que se pode tirar do conjunto das nossas experiências e observações a seguinte conclusão: A modificação da fórmula sanguínea que se observa depois de cada refeição e que era considerado, desde Virchow e até ao presente como um fenómeno fisiológico, deve ser considerado na realidade como um fenómeno patológico. Esta leucocitose digestiva é uma prova que a comida geralmente absorvida pelo homem não pode ser normalmente assimilada e que este aumento do número de glóbulos brancos e a modificação da formula leucocitária não são outra coisa que a mobilização dos leucócitos para a defesa do organismo contra um elemento estranho. Ou seja, o regime ordinário sobrecarrega o organismo de elementos em excesso no qual ele mantém somente o que é útil e necessário; é-lhe imposto um trabalho de eliminação que usa as suas reservas biológicas e traduz-se, em particular, por um desperdício de energia.”

 

A experiência mostra-nos que os alimentos cozinhados actuam no nosso corpo como um “invasor”, no entanto, quando comemos frutas e legumes crus esse mesmo aumento dos glóbulos brancos não acorre, ou seja, o corpo não os interpreta como invasores.

As enzimas são os catalisadores de todas as reacções químicas do organismo. Sem elas, não há divisão celular, funcionamento do sistema imunitário, produção de energia nem actividade cerebral.

Cozinhar a nossa comida destrói as enzimas, deixando ao organismo todo o trabalho “pós-guerra”, não sendo de admirar a sensação de cansaço e sonolência que a maioria de nós sente após uma refeição cozida.

Habituarmo-nos a substituir alimentos cozidos por crus e começar as refeições com uma grande salada ou mesmo um sumo de vegetais é um grande passo para a saúde do sistema digestivo e imunitário!

Sabemos, claro que mudar os nossos hábitos alimentares é das tarefas mais difíceis que temos pela frente, pois as possibilidades são imensas e facilmente disponíveis, no entanto, enquanto estudas as alterações passíveis de realizar podes sempre optar por começar a refeição com alimentos crús e depois passar aos cozidos, pois se o fizermos por essa ordem a reação imunitária não ocorre.

 

 

 

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.0954-6820.1946.tb06168.x/full
http://www.igienenaturale.it/Post-Prandial%20Leucocytosis.pdf

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

2 Comentários
mais antigo
mais recente mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
BRUNO
BRUNO
1 ano atrás

Crudivorismo é a melhor dieta.

Claudecir L da silva
Claudecir L da silva
10 meses atrás

Maravilhas.fantástica informação.

  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.