O bebé nasce…e depois?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

 

Saímos de casa dois e voltámos três…foi o que me aconteceu há 5 anos atrás quando fui ter o meu filhote ao hospital.

 

Foi um momento único, cheio de amor e de felicidade…mas o que quase ninguém conta é o que acontece depois…sim, depois do bebé nascer…o bom… e o menos bom.

 

Apesar dos desafios inerentes ao papel da parentalidade, nós, mulheres guerreiras que somos, superamos tudo desde que tenhamos o nosso bebé nos braços. Mas claro, uma coisa não invalida a outra e como já dizia o Steve Jobs “Informação é poder” por isso vamos falar do que poucos falam…

 

Pois bem…Não ficamos necessariamente em estado de graça…continuamos inchadas durante mais alguns dias, principalmente os pés e porquê? Porque o tamanho da barriga dificulta a circulação, o que leva as extremidades a incharem

 

# O surgimento dos lóquios pós-parto (sangramento)… ora então, logo após o parto temos perdas de sangue intensas, pelo que queres um conselho? Não compres fraldas apenas para o bebé…compra também para ti…sabes aqueles pensos hipergrossos do tempo das nossas avózinhas? Sim..esses! acredita que te vão dar muito jeito!

Depois do parto é normal termos perdas de sangue intensas durante alguns dias, principalmente as mulheres que tiveram parto normal. As perdas de sangue, embora possam incomodar são normais porque o corpo está a eliminar o material que revestia o útero durante a gravidez…é chamado o período da quarentena (40 dias)…mas relaxa porque o maior fluxo dura cerca de 10 dias!!

 

# A quarentena é um período de resguardo recomendado para ajudar o organismo a recuperar e a evitar infeções pois demora aproximadamente 40 dias para o colo fechar.

 

# Claro que quando falamos de quarentena, normalmente a primeira coisa que nos surge é a questão sexual…pois aqui também não tenho propriamente grandes noticias pois ao contrário do que se pensa, o desejo sexual não aparece, para a maioria das mulheres logo após o fim da quarentena…o que temos de compreender é que o cansaço e o medo de sentir dor não abonam em nada para a líbido da mulher…sem contar que há mulheres que simplesmente não querem…não se sentem preparadas e está tudo bem!!

 

O companheiro/a deve respeitar e apoiar…agora uma dica para os/as companheiros/as: se fizerem a parte que vos compete nas tarefas da casa…se partilharem a dois os cuidados com o bebé e se numa prática diária houver trocas de mimos, elogios e palavras carinhosas garanto que em menos de nada a tua companheira estará cheia de vontade de te saltar para os braços!!

 

Para apoiar a líbido existem algumas plantas, mas poucas são compatíveis com a amamentação…de qualquer forma, entre as que existem, a ashwagandha acaba por ser uma das eleitas pois além de apoiar a libido da mulher, também dá suporte ao seu sistema hormonal e ajuda a tolerar melhor o cansaço e o stress visto que se trata de uma planta adaptogénica.

 

# A amamentação...uma experiência estranha! Embora amamentar esteja na natureza de qualquer mamífero, a verdade é que quando não nos ensinam certos pormenores, a amamentação pode se tornar um verdadeiro desafio

O ideal é pedires ajuda e aprenderes as diversas posições que podes adotar para amamentares de forma mais cómoda. Além disso, aprenderes a pega correta também é meio caminho andado para se tornar num hábito prazeroso tanto para ti como para o teu bebé…penso que o importante é saberes pedir ajuda.

Ahh…outra coisa…sabias que o teu útero continua a se contrair depois do parto? Pois…deve-se à amamentação que estimula o útero a voltar ao tamanho normal. Assim, enquanto o bebé mama, ocorre a produção de ocitocina que beneficia esta redução uterina.

 

# O cansaço….essa palavra ouvimos vezes sem conta mas só nos apercebemos do peso dela quando passamos pela experiência de cuidar de um recém-nascido…e se for preciso levas o dia inteiro à espera que alguém apareça para puderes fugir 5 minutos para a banheira e tomares um bom banho.

 

# As visitas…que embora bem intencionadas nem sempre são bem-vindas. Nós adoramos a nossa família e amigos mas depois do esforço e da ansiedade, receber logo nos primeiros dias pós o parto visitas, que quando o que queremos é sossego e descanso não é a melhor coisa nem a melhor altura.

E o que vem com as visitas? Os palpites e os concelhos…ahhh pois é…e de um momento para o outro todos são especialistas em recém nascidos…não ligues…ouve o teu instinto de mãe e faz como o “pinguim” apenas acena com a cabeça e sorri!!

 

Agora uma nota final…

O objectivo deste artigo não é contribuir para a diminuição da natalidade 😅😇, mas sim empoderar as mulheres, transmitindo informação que eu gostava de ter recebido. A maternidade é, sem sobre de dúvida, uma experiência maravilhosa e não a trocaria por nada deste mundo. Mas na minha modesta opinião, quanto mais informadas estamos, maior a probabilidade de experiênciar esta nova etapa a 100%…pois à partida, parte das nossas dúvidas, medos e receios já não terão o mesmo impacto que teriam se não soubermos estas “pequenitas” coisas…!! ❤

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

1 Comentário
mais antigo
mais recente mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Ana Patrocinio
Ana Patrocinio
3 anos atrás

Lindaaa!!! Adorei o artigo, é sem dúvida uma excelente contribuição para as futuras mamãs 🙂 Grata pelo contributo

  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.