Probiótico e otites nas crianças

SABIAS QUE OS PROBIÓTICOS ORAIS PODEM SER ÚTEIS NA REDUÇÃO DAS INFECÇÕES DE OUVIDO E DE GARGANTA NAS CRIANÇAS E NOS ADULTOS?

 

Um grupo de investigadores italianos confirmou que uma determinada espécie probiótica oral reduz significativamente as infecções de ouvido e de garganta em crianças e adultos com infecções recorrentes.

Num estudo de 2013, publicado no Journal of Expert Opinion sobre terapia biológica da Informa Healthcare, os pesquisadores estudaram 40 adultos que tinham um historial frequente de infecções de garganta por estreptococo e/ou amigdalite. [Expert Opin Biol Ther. 2013 Mar]

 

Eles foram divididos em dois grupos de 20 adultos.

 

Durante 90 dias, um grupo recebeu um suplemento probiótico oral (marca europeia = Bactoblis®) com Streptococcus salivarius K12. O outro grupo não foi tratado. Os pesquisadores seguiram cada paciente por 6 meses após o período de tratamento de 90 dias.

O produto Bactoblis é um comprimido de libertação lenta com 5 bilhões de CFU (unidades formadoras de colónias) de Streptococcus salivarius K12.

No fim do estudo, o grupo controle não obteve nenhuma alteração, enquanto que o grupo a tomar o probiótico oral apresentou uma diminuição de 80% na faringite estreptocócica e na amigdalite.

Durante os 6 meses após o período de tratamento, o grupo a tomar o probiótico oral teve menos 60% de incidências de infecções de garganta do que o grupo de controlo. Durante todo o período de investigação não foram observados efeitos secundários nem abandono no grupo de probióticos orais.

Os pesquisadores concluíram que “a administração profilática de Streptococcus salivarius K12 a adultos com história de patologia estreptocócica oral recorrente reduziu o número de episódios de infecções estreptocócicas faríngeas e/ou amigdalites”.

 

Um outro estudo de 2012 publicado no International Journal of General Medicine, estudou a capacidade de prevenção dos probióticos em 82 crianças com idades entre os 4 e os 5 anos. Das 82 crianças, 65 haviam sido recentemente diagnosticados com uma otite média (infecção estreptocócica) e/ou infecções da garganta (estreptococo e/ou amigdalite). [Int J Gen Med. 2012]

 

Os investigadores deram a 45 das crianças diagnosticadas o probiótico oral Bactoblis, o mesmo com Streptococcus salivarius K12, deixando 20 das crianças diagnosticados sem tratamento e as restantes 17 que não haviam sido diagnosticadas com qualquer infecção como grupo controle adicional.

Cada uma das 45 crianças recebeu um comprimido por dia do produto Bactoblis com Streptococcus salivarius K12 durante 90 dias.

Entre os 45 que iniciaram o estudo, 41 crianças completaram o período de tratamento de 90 dias e o seguimento de 6 meses. As 41 crianças tiveram uma redução de 90% nas infecções de garganta. Entre aquelas com infecções de ouvido recorrentes houve uma redução de 40%.

Os investigadores concluíram que “a administração profilática de S. salivarius K12 a crianças com história de patologia estreptocócica oral recorrente reduziu os episódios de infecções faríngeas estreptocócicas e/ou amigdalites, bem como episódios de otite média aguda”.

 

 

*Di Pierro F, Adami T, Rapacioli G, Giardini N, Streitberger C. Clinical evaluation of the oral probiotic Streptococcus salivarius K12 in the prevention of recurrent pharyngitis and/or tonsillitis caused by Streptococcus pyogenes in adults. Expert Opin Biol Ther. 2013 Mar;13(3):339-43.

* Di Pierro F, Donato G, Fomia F, Adami T, Careddu D, Cassandro C, Albera R. Preliminary pediatric clinical evaluation of the oral probiotic Streptococcus salivarius K12 in preventing recurrent pharyngitis and/or tonsillitis caused by Streptococcus pyogenes and recurrent acute otitis media. Int J Gen Med. 2012;5:991-7.

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.