Quantas vezes funcionam os teus intestinos?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Freepick

O antigo Egito foi uma das maiores civilizações antigas com um conhecimento vasto de medicina.

Os faraós, por exemplo, tinham acesso a médicos especializados e intitulados como os “guardiões do movimento do intestino real”, ou seja, dedicavam-se exclusivamente ao funcionamento dos intestinos da realeza.

Hoje, a importância do movimento intestinal continua.

O conceito atual de fezes “normais” são emanados principalmente dos registos de 12 movimentos intestinais consecutivos em 27 indivíduos saudáveis do Reino Unido.

No entanto, é importante definir o que é normal

Quando se trata de frequência, por exemplo, não podemos definir conceitos como obstipação ou diarreia, a menos que possamos saber o que é “normal”, mas só em 2010 é que olharam de forma séria para esta questão.

Então, os investigadores desenvolveram um estudo onde constataram que a frequência “normal” de fezes era entre três por semana a três por dia, com base no facto de que 98% dos inquiridos encaixavam-se nesse padrão de “normalidade”.

Mas o normal não significa necessariamente otimizado.

Os naturopatas, como seguidores de alguns dos grandes ensinamentos de Hipócrates, desde sempre que defendem que a optimização intestinal dá-se quando conseguimos eliminar fezes entre 2 a 3 vezes por dia, consoante o número e a quantidade de refeições que fazemos.

Nós temos aquilo a que se chama de reflexo gastrocólico, que consiste numa rápida ativação das ondas musculares do cólon dentro de 1 a 3 minutos após a ingestão dos primeiros pedaços de comida para dar espaço para a refeição.

Assim, Hipócrates defendia que os movimentos intestinais deveriam ser idealmente duas ou três vezes por dia, que é o que observamos nas populações com dietas tradicionais de base vegetal.

Essas dietas tradicionais têm uma ingestão dramática de fibras e podem ser muito mais representativas do tipo de dietas da qual evoluímos ao longo de milhões de anos.

Pequenas mudanças como o aumento da ingestão de alimentos de base vegetal pode ser o suficiente para fazer o nosso intestino funcionar de forma mais adequada, sendo que essa forma é no mínimo dos mínimos 1 vez ao dia.

– Texto Original: Michael Greger M.D. FACLM on August 3rd, 2017
Holist Nurs Pract. 2014 May-Jun;28(3):195-7. doi: 10.1097/HNP.0000000000000024. Bowel movement: the sixth vital sign. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24722614
Am J Gastroenterol. 2008 Mar;103(3):692-8. Epub 2007 Nov 16. Insights into normal and disordered bowel habits from bowel diaries. Bharucha AE1, Seide BMZinsmeister ARMelton LJ 3rd. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18021288
Proc R Soc Med. 1966 Jan;59(1):11-2. Variation of bowel habit in two population samples. Connell AMHilton CIrvine GLennard-Jones JEMisiewicz JJ. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/5902364
Scand J Gastroenterol. 2010 May;45(5):556-66. doi: 10.3109/00365520903551332. Assessment of normal bowel habits in the general adult population: the Popcol study. www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20205503
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Subscrever
Notificar de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Sou a Vera, naturopata especializada na saúde da mulher e da criança e autora do livro Nascer e Crescer Vegetariano.

    Segue nas Redes Sociais
    Categorias
    Livros e Materiais
    Cursos e Masterclasses Online

    Todas as informações fornecidas por este website destinam-se única e exclusivamente para finalidades informativas ou educacionais, não tendo a intenção de substituir as orientações fornecidas pelo profissional de saúde ou médico, nem para serem utilizadas para diagnóstico ou tratamento clinico.

    Tens a minha autorização para utilizar os conteúdos da página da forma que quiseres.

    Conhecimento e sabedoria são recursos inesgotáveis que crescem ao serem partilhados. Todos beneficiamos com isso! No entanto, não nos responsabilizamos por nenhuma consequência direta ou indiretamente tomada com base nas informações desde website.

    Se quiseres explorar mais conhecimentos e informações em fontes credíveis e reconhecidas, clica aqui para ver a lista de recursos que recomendo.