Nós e as Alergias. O que fazer?!

 

As alergias podem ser complicadas de tratar, especialmente quando quem sofre lida com os sintomas durante todo o ano.

 

Felizmente, existem alternativas seguras para que sintas alívio com a maior rapidez possível.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica(0), a rinite é a alergia mais frequente, afectando cerca de 2,5 milhões de portugueses, onde se junta a asma a um terço destes e estando associada à sinusite e à conjuntivite alérgica.

Ainda de acordo com a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, hoje há a evidência de que uma rinite mal controlada pode conduzir a complicações que vão desde a sinusite à asma, passando pela otite média, por anomalias na implantação dos dentes e por perturbações do sono mais ou menos graves.

 

A palavra “Alergia” refere-se a uma resposta imune exagerada, onde o corpo ataca um agente específico que é inócuo para a maioria de nós, mas que desencadeia uma resposta exagerada do nosso organismo.

 

Esta resposta nada mais é do que a tentativa do corpo de combater a agressão, tossindo, obstruindo as vias aéreas, espirrando e produzindo secreções.

O tipo de reacção pode ganhar muitas formas, como uma reacção inflamatória onde o sangue ou o muco é encaminhado para o local de invasão, que em situações normais é uma reacção saudável para eliminar do corpo a ameaça, mas quando a reacção a substâncias como relva, tomates, animais de estimação, bolor, mofo e pó é exacerbada torna-se um problema causando prejuízos ao nosso organismo.

A terapêutica convencional oferece, para a rinite e sinusite intermitente, medicamentos anti-histamínicos para o alivio dos sintomas.

Para as formas persistentes, geralmente, recomenda-se a toma de corticóides nasais e anti-histamínicos.

Na terapêutica naturopática oferece-se a possibilidade de, juntamente com a alimentação, utilizar plantas com propriedades anti-inflamatórias e anti-histamínicas de igual qualidade e com menores efeitos secundários. Aqui apresento duas opções:

 

Folhas de Urtigas

As urtigas são utilizadas pela naturopatia desde sempre e o seu uso encontra-se amplamente difundido pelo mundo inteiro.

Existem cerca de 500 espécies de urtigas, todas elas com propriedades semelhantes, variando apenas as quantidades dependendo do tipo de solo onde nascem.

Embora as investigações continuem preliminares, a evidência científica continua a apontar para as propriedades anti-inflamatórias da urtiga. A ciência tem demonstrado que as urtigas produzem um efeito anti-alergénico.

No entanto, a urtiga perde as suas propriedades anti-alergénicas se não for colhida e processada correctamente, como tal é essencial que as consumas frescas ou que encontres um produto de qualidade.

Usa as urtigas como utilizarias um medicamento anti-histamínico para parar o teu sofrimento. Os sintomas geralmente começam a melhorar dentro de 15 minutos e o efeito dura cerca de quatro horas.

 

Quercetina

A cebola e o alho são excelentes plantas anti-alergénicas, especialmente para asma.

Estas plantas contêm o flavonóide Quercetina, que foi descoberto num estudo realizado em 2008 por inibir significativamente as reacções asmáticas.

Uma outra investigação expôs o facto do flavonóide ter uma actividade anti-asmática semelhante aos medicamentos cromolina de sódio e dexametasona, ambos utilizados para o tratamento da asma.

Além da Quercetina, ambos os bulbos inibem uma enzima, a lipoxigenase, que gera um produto químico inflamatório.

 

Como podes ver, os alimentos ajudam-nos a recuperar das alergias. O nosso trabalho de casa é descobrir o que se pode fazer para um melhor auto-cuidado. Quanto melhor cuidares de ti, melhor será a tua qualidade de vida!!

Um beijinho!

 

REFERENCIAS:
[0] www.spaic.pt
[i] Riehemann K Behnke B Schulze Osthoff K Plant extracts from stinging nettle (Urtica dioica), an antirheumatic remedy, inhibit the proinflammatory transcription factor NF-kappaB. FEBS-Lett. 1999 Jan 8; 442(1): 89-94 1999
[ii] Mittman P Randomized, double-blind study of freeze-dried Urtica dioica in the treatment of allergic rhinitis. Planta-Med. 1990 Feb; 56(1): 44-7 1990
[iii] Int Immunopharmacol. 2008 Dec 2. [Epub ahead of print] Quercetin regulates Th1/Th2 balance in a murine model of asthma.Park HJ, Lee CM, Jung ID, Lee JS, Jeong YI, Chang JH, Chun SH, Kim MJ, Choi IW, Ahn SC, Shin YK, Yeom SR, Park YM.
[IV] Arch Pharm Res. 2008 Jun;31(6):771-8. Epub 2008 Jun 19. Quercetin inhalation inhibits the asthmatic responses by exposure to aerosolized-ovalbumin in conscious guinea-pigs.Moon H, Choi HH, Lee JY, Moon HJ, Sim SS, Kim CJ.
[V] Murray, Michael, and Pizzorno, Joseph, Encyclopedia of Natural Medicine, Prima, 1998.

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.